quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Perguntas que merecem respostas.


Muitas perguntas tem sido levantadas a respeito da questão Bíblia X Tradição. Não pretendemos ser prolixo, no entanto procuraremos dar respostas adequadas a estas questões. São elas:

1. Deveríamos obedecer à igreja católica pois foi ela quem decidiu sobre quais livros deveriam constar no cânon bíblico.

Resposta: Essa pergunta é baseada em duas falsas premissas: a) A primeira é a que afirma que a Bíblia é apenas produto da Igreja. b) E conseqüentemente, a Igreja tem autoridade sobre ela. Perguntaríamos quem nasceu primeiro, a Bíblia ou a Igreja? A Bíblia é claro! A igreja é a coluna da verdade ou seja, sustenta a verdade desde que prega as escrituras que é a própria verdade. No tocante a questão da canonicidade, não devemos imaginar um grupo de homens com um punhado de livros sobre a mesa separando-os uns dos outros arbitrariamente. É verdade que muitos livros ficaram pendentes quanto ao serem aceitos por alguns cristãos. Todavia, isto se deveu mais a questões de comunicação entre o Ocidente e Oriente. Uma coisa é certa: os livros Bíblicos não se tornaram canônicos porque a igreja os incluiu em uma lista, mas porque ela já os reconhecia como divinamente inspirados. Tudo foi dirigido pelo Espírito Santo! Os primeiros concílios a classificar os livros canônicos foram os de Hipona (393) e os de Cartago (397), mas antes disso Atanásio (367) já os havia reconhecido como canônicos. A igreja apenas catalogou aquilo que era prática geral dos cristãos, e isto em parte para corrigir a lista formada pelo herético Marcião.

2. A doutrina da Sola Scriptura causou muitas interpretações e divisões no meio protestante por isto a livre interpretação da Bíblia não é correta.

Resposta: Os católicos se subordinam ao Magistério Eclesiástico, que segundo dizem é o único interprete infalível das escrituras. Todavia, o episódio de Beréia acaba por confirmar bem lá nos primórdios do cristianismo que os cristãos já usavam o princípio da Sola Scriptura. Eles foram chamados de mais nobres que os outros pois confrontaram a pregação oral do apostolo Paulo com o livre exame das escrituras, isto estava realmente de acordo com os princípios divinos de examinar as escrituras Isaías 34:16, João 5:39 e não ir além do que está escrito I Coríntios 4:6. Paulo exorta a timóteo a permanecer naquilo que ele conhece desde a infância pelo livre exame , ou seja, as escrituras: “e que desde a infância sabes as sagradas letras, que podem fazer-te sábio para a salvação”. Quanto às divisões, posso afirmar que é irrelevante para o caso em questão, pois o problema não está com “Sola Scriptura”, mas com o coração do homem. Mesmo assim, não vejo aonde um punhado de tradição oral venha solucionar este problema, sendo que até mesmo na Igreja Católica existe divergências de opiniões e divisões, mas todos eles se centralizam na autoridade do papa. Nas denominações evangélicas tal não sucede pois descansamos nossa unidade doutrinária nas escrituras, é só comparar os credos de fé para constatar isto. Seguimos o exemplo das igrejas neotestamentaria que apesar de serem unidas na fé, todavia eram separadas entre si.

3. Porque só a Bíblia deve ser nossa regra de fé? 

Resposta: Diz o adágio popular: “Quem conta um conto, aumenta um ponto”. A palavra escrita é a maneira mais segura que Deus usou para preservar sua vontade dentro do espaço-tempo humano. A Bíblia é a única palavra inspirada de Deus na forma escrita, o mesmo não se dá com as tradições orais. A palavra inspirada, no grego theopneustos usada em 2 Timóteo 3.16 significa Deus soprou. Assim sendo, as Escrituras é soprada por Deus. Pedro falou que a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo (2 Pe 1.21). Isto confirma que os escritores foram movidos por Deus para escrever aquilo que ele queria. Se Deus inspirou os escritos, concluímos certamente que são perfeitos e infalíveis. Nunca encontramos que a palavra de boca-a-boca (tradição oral) é theopneustos [inspirada]. Jesus quando debateu com o Diabo não usou nenhuma tradição oral, mas usou a frase “está escrito” todas as vezes, uma referência clara as escrituras sagradas. Ele reprovou o método dos fariseus de tentar colocar no mesmo pé de igualdade tradição e escrituras. Os apóstolos na posição de apologistas sempre usaram as escrituras como meio de provar a fé cristã. Na idade pós-apostólica também. É interessante notar que nunca sequer a Bíblia afirma que um dos apóstolos lançou mãos de tradições recebidas de terceiras como meio de provar ou consubstanciar a fé cristã. Judas nos diz que a doutrina cristã chamada de fé (3) foi entregue uma “vez por todas”, para sempre, aos santos, não precisamos de novas revelações ou doutrinas fora da Bíblia, tudo já está completo. Sempre foi sola scriptura! 4. Mas em II Pedro 1:20 a própria Bíblia diz que as escrituras não são de particular interpretação?

Resposta: Antes de analisarmos II Pedro eu gostaria de fazer algumas observações importantes para demonstrar a inconsistência deste argumento. Na realidade o que isto quer dizer é que você pode ler a Bíblia contanto que você não questione qualquer doutrina ensinada pelo Magistério Eclesiástico da Igreja. e se porventura achar alguma contradição entre eles você julgara estar interpretando mal a Bíblia. O Magistério “infalível” recusa a ser julgado à luz da palavra de Deus.

Ao longo dos séculos a Igreja Católica tem sempre trabalhado para retirar a Bíblia das pessoas comuns. A primeira tática foi dar a Bíblia em latim, uma língua desconhecida para a maioria dos fiéis . Durante séculos foi um pecado mortal possuir e ler a Bíblia no próprio idioma nativo da pessoa, em Tolosa na França (1229), havia até punição inquisitorial para isto. O conselho de Valencia (1229), o Conselho de Trento (1545) e o Papa Clemente XI (1713) e muitos outros, tudo fizeram para impedir as pessoas de possuir a Bíblia no próprio idioma, enquanto homens como Wycliff, Tyndale e Lutero lutaram para dar a Bíblia no idioma comum das pessoas. O papa Pio IX (1866) em sua encíclica Quanta Cura, afirmou que as “Sociedades Bíblicas” era “uma peste” e deveria ser exterminada. Mas o tempo forçou a Igreja romana a mudar sua estratégia devido a Reforma Protestante e hoje muitos católicos têm livre acesso às escrituras graças ao esforço destes homens de Deus. Contudo, esta liberdade vem mascarada pela interpretação do tal Magistério da Igreja. Os católicos continuam sendo manipulados pela cúpula romana!

Agora Vamos analisar o texto de II Pedro 1:20 dentro de seu respectivo contexto empregando as ferramentas da exegese bíblica de acordo com as regras da hermenêutica sagrada. Assim reza o texto:

“E temos ainda mais firme a palavra profética à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma candeia que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça e a estrela da alva surja em vossos corações; sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade dos homens, mas os homens da parte de Deus falaram movidos pelo Espírito Santo.” (1:19-21)

Uma olhada rápida no texto já deixa clara que não se fala de interpretar versículos Bíblicos, mas de profecias. Pedro diz que nenhuma profecia das escrituras é de particular interpretação. Pedro aqui não está falando sobre o livre exame das escrituras, mas sobre o processo pelo qual a Bíblia chegou até nós ou seja sua origem. Quem ele tem em mente ? O leitor ou os homens que escreveram a Bíblia? É lógico que ele estava falando sobre os profetas. O que ele diz é que nenhuma profecia da Bíblia foi produzida pela vontade do profeta, mas sem nenhuma exceção, todos eles foram guiados pelo Espírito Santo. Embora escrita por homens às profecias não tiveram origem neles, mas em Deus! Assim, em lugar de nos desencorajar de ler e entender a Bíblia para nós mesmos, este verso nos dá confiança para confiarmos na Bíblia completamente pois no verso 19 ele diz: “E temos ainda mais firme a palavra profética à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma candeia que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça e a estrela da alva surja em vossos corações” Apesar de existir pontos difíceis na palavra de Deus (3:16) isto não nos deve desencorajar de estudarmos particularmente a Bíblia, sempre dependendo do Espírito Santo que nos guia a toda a verdade (João 16:13 – I João 2:27) e lançando mão das ciências teológicas disponíveis.

4. Na Bíblia há muitos pontos difíceis de entender II Pedro 3:15, por isso ao colegiado dos bispos em união com o papa foi confiada unicamente esta tarefa. 

Resposta: Este é um dos argumentos católicos para desestimular os fiéis de lerem a Bíblia. Contudo vamos analisar este trecho com mais perspicácia. Vejamos:

“e tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor; como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada como faz também em todas as suas epístolas, nelas falando acerca destas coisas, nas quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, como o fazem também com as outras Escrituras, para sua própria perdição.Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que pelo engano dos homens perversos sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza;”

Perguntamos: onde Pedro ao menos de longe desestimula a leitura da Bíblia por parte dos crentes ? Novamente o contexto deixa clara a questão. Pedro estava falando de eventos escatológicos (v. 1-14). Então passa a relatar que nos escritos de Paulo “acerca destas coisas”. Que coisas ? Obviamente sobre o final dos tempos (escatologia), é este o assunto do contexto! Continuando, ele afirma apenas que há pontos difíceis, e isto não é novidade, pois trata de assuntos futuros, mas em nenhum momento afirma que a Bíblia inteira é difícil e nem desestimula sua leitura, muito pelo contrário, no verso 18 ele insta seus leitores a crescer “na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo”. Ora, Deus diz que o povo perece por que lhes falta exatamente o conhecimento das escrituras: “O meu povo está sendo destruído, porque lhe falta o conhecimento…. visto que te esqueceste da lei do teu Deus…”(Oséias 4:6). Este é exatamente o conhecimento que precisamos “Jesus, porém, lhes respondeu: Errais, não conhecendo as Escrituras nem o poder de Deus” Mateus 22:29. Pois, tudo que foi escrito para nosso ensino foi escrito, diz Paulo em Romanos 15:4 e I Coríntios 10: 1. Por isso precisamos estudar a Bíblia! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário